Pensa-se que as crianças são importantes na disseminação do vírus na comunidade, tal como fica demonstrado pelo aumento significativo do absentismo escolar nas primeiras fases de um surto de gripe. 

A propagação da gripe numa comunidade resulta habitualmente num aumento do absentismo laboral, das hospitalizações motivadas por doenças respiratórias e das mortes causadas pela gripe e suas complicações. 

Os factores que contribuem para o desencadear e para a resolução dos surtos de gripe não foram ainda bem compreendidos. Pensa-se que a gravidade de um surto é determinada em grande escala pela imunidade existente numa determinada comunidade contra a estirpe do vírus da gripe infeccioso. Quando, no seio de uma comunidade, há níveis elevados de imunidade contra os vírus existentes, a gravidade dos surtos de gripe é menor e predominam as epidemias em vez das pandemias. 

Quando existe pouca ou nenhuma imunidade contra a estirpe do vírus da gripe em circulação, pode ocorrer um grande surto com as proporções duma pandemia. 

Actualmente, um novo subtipo de vírus, de origem suína, ameaça provocar uma nova pandemia de gripe.